Articulista
Aurélio Belém do Espírito Santo

É advogado e ex-diretor da OAB-SE. Escreve às terças.

Axl Rose, um ícone do rock
Compartilhar

Axl Rose: a alma do Guns n' Roses e seu hard rock

Nesta terça, 6, - aniversário de um ídolo da adolescência -resolvi escrever sobre o polêmico vocalista Axl Rose, da icônica banda estadunidense de hard rock, o Guns n' Roses.
Figura lendária no mundo do rock, conhecido pelos agudos poderosos, presença de palco magnética e personalidade controversa, Axl deixou marca indelével na história da música, tanto pelos feitos artísticos quanto pelas polêmicas.

Descendente de irlandeses e escoceses pelo lado paterno e de alemães pelo materno, William Bruce Rose Jr. nasceu em Lafayette, Indiana, em 6 de fevereiro de 1962, de uma gravidez não planejada, como filho mais velho do casal Sharon E. Lintner e William Bruce.

Com dois anos, seu pai, um delinquente carismático, o raptou e o molestou antes de abandonar a família. Com isso, sua mãe casou com Stephen L. Bailey e mudou seu nome para William Bailey.

Aos 17 anos, ele saiu de casa ao descobrir que não era filho de Bailey, que o espancava constantemente e o obrigava a participar de cultos pentecostais, com a omissão de sua mãe. Passou a delinquir e foi preso muitas vezes.

Foi internado em clínica com diagnóstico psicótico como maníaco depressivo, mas seu altíssimo QI chamou a atenção. Para não se complicar com a Justiça Criminal, Rose resolveu ir para Los Angeles, encontrando terapia na música, onde o talento era indiscutível. Essas experiências tumultuadas moldaram sua personalidade e influenciaram sua carreira ao estrelato.

Inicialmente, cantou no coro da Igreja, estudou piano e formou a primeira banda de garagem com o amigo Izzy Stradlin. Envolveu-se tanto com sua banda Axl, que passou a ser chamado assim. Em 1986, ao assinar contrato com a gravadora Geffen Records, mudou seu nome para W. Axl Rose.

Na Califórnia, integrou a banda L.A. Guns, antes de formar a Hollywood Rose, com seu amigo Izzy. Da fusão destas, surgiu o Guns n’Roses, com Axl no vocal, Slash na guitarra solo, Izzy Stradlin na guitarra base, Duff McKagan no baixo e Steven Adler na bateria, combinando letras provocativas, riffs de guitarra cativantes e a voz distintiva de Axl.

Após reunir fãs, em 1987 o Guns gravou o álbum de estreia “Appetite for Destruction”, cujo sucesso estrondoso foi catapultado pelo single “Sweet Child o’Mine”, composta por Axl para sua namorada Erin Everly, que levou o disco à primeira posição nas paradas de sucesso dos EUA a partir em 1988, alcançando a incrível marca de álbum de estreia mais vendido de todos os tempos.

Embalado, o Guns lançou o segundo álbum “G N’R Lies”, outro sucesso bombástico, mas que trouxe críticas às letras racistas e homofóbicas, como a música “One in a Million”, que Axl explicou depois decorrer de experiências pessoais traumáticas e mal resolvidas.

O Guns n’Roses seguiu o sucesso e Axl foi considerado um dos vocalistas mais importantes e carismáticos do rock, aclamado pela revista Rolling Stone e pela MTV.
Em 1990 a dependência química do baterista Steven impediu gravações. Irritado, Axl demitiu Steven e convidou o baterista Matt Sorum do The Cult e o amigo tecladista Dizzy Reed para a banda. Ambos estrearam no Rock in Rio II, em 1991.

Sem novo álbum, o Guns embarcou na longa turnê “Use Your Illusion Tour”, com recordes de público e confusões protagonizadas por Axl. Ao final, foram lançados dois álbuns duplos: Use Your Illusion I e Use Your Illusion II, aclamados pela crítica e recheados com músicas marcantes que se tornaram hinos.

A agitada vida amorosa de Axl retrata sua personalidade e envolvimento em relacionamentos complicados. Rose sempre namorou belas mulheres, top models e até Miss Universe. Casou-se em 1990 com Erin Everly, separando-se no ano seguinte. Contudo, essas mulheres foram inspirações para as letras introspectivas de suas canções.

Em 1992, foi eleito sex simbol e o homem mais belo do mundo pela revista People, com aparições no cinema e hits em trilhas sonoras de filmes, como “You Could Be Mine”, no Exterminador do Futuro. Foi convidado para substituir o vocalista Brian Johnson, da lendária banda ACDC, na turnê Rock or Bust World Tour. Mas se destacou também como compositor prolífico, com letras que refletiam sua visão de mundo e suas lutas pessoais, em dimensão emocional.

Apesar do sucesso estrondoso, o Guns N' Roses foi envolvido em controvérsias, dado o comportamento imprevisível do líder, que assumia o controle total da direção da banda, o que refletiu em mudanças na formação, com membros originais substituídos, como Izzy, Slash e Duff.

Momento notável foi o disco “Chinese Democracy”, em 2008, que dividiu fãs e críticos, mas mostrou a persistência de Axl em manter viva a chama do Guns, que foi proibido de entrar na China.

Em 2016, o Guns N’Roses anunciou a turnê “Not in This Lifetime...”, com a volta do guitarrista Slash e do baixista Duff, reunindo milhões de fãs pelo mundo e reafirmando o poder e o impacto duradouros da banda - cuja energia pude testemunhar ao vivo.

O legado de Axl é o Guns N’ Roses, moldado a sua maneira, transcendendo gerações de músicos e fãs. Sua sonzeira continua viva e reverenciada como clássico do rock e marca indelével da rebeldia, paixão e autenticidade. Em suma, mais que cantor, Axl é inimitável como testemunho da complexidade humana e da poderosa conexão entre arte e emoção. Feliz aniversário, senhor do rock!

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.