Aparte
No Estadão, Edvaldo Nogueira defende programa emergencial para retomar desenvolvimento do Brasil

Edvaldo Nogueira: abrindo o leque de uma nova visão de Brasil

Entrevistado pelo jornal O Estado de São Paulo, O Estadão, o prefeito de Aracaju e presidente da Frente Nacional dos Prefeitos – FNP -, Edvaldo Nogueira, PDT, defendeu a construção de um programa emergencial para a retomada do desenvolvimento no Brasil.

De acordo com Edvaldo Nogueira, um candidato de centro - a tão propalada terceira via - à Presidência da República só conseguirá romper a polarização entre Lula e Bolsonaro se apresentar um projeto que solucione a crise econômica e social que o país enfrenta. 

“É preciso primeiro construir um projeto, antes mesmo de definir nomes, buscando um consenso e uma proposta viável de transição econômica e social para os próximos quatro anos”, ressaltou o prefeito aracajuano.

“É chegada a hora do conjunto de forças políticas da esquerda à centro-direita elaborar um programa emergencial para o país, ouvindo as universidades, os economistas, os cientistas sociais”, defendeu Edvaldo.

O prefeito ressalta que este programa de transição deveria ser uma resposta para além do que já existe no campo político-social. “Nem a política do estado mínimo nem o estatismo da década de 1930”, ponderou.

“Precisamos chegar a um ponto de equilíbrio com o Estado tendo um papel importante de regulador, de distribuição de renda e de políticas sociais efetivas, e o mercado, as forças da produção e o empreendedorismo também dando sua contribuição”, disse.

“A compatibilização desses dois elementos deve estar associada à tecnologia e à inovação”, afirmou o prefeito. “A pandemia trouxe esse elemento. Houve uma antecipação do uso da tecnologia em pelo menos dez anos. Um projeto para o Brasil precisa levar isso em conta. Projeto definido, a gente decide que candidato terá mais chance de representar essas ideias”, reiterou.

Edvaldo Nogueira foi entrevistado no final da semana passada pelo programa “Papo com Editor”, conteúdo em vídeo do jornal Estadão. Além de abordar a disputa eleitoral de 2022, Edvaldo também reiterou críticas ao relatório da Proposta de Emenda à Constituição 110, da reforma tributária, e propôs a uniformização das alíquotas de ISS, o imposto sobre serviços, em todo o país.

Ele também afirmou que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não discutiu, até o momento, a estratégia de vacinação contra a Covid-19 em 2022 com os municípios. Edvaldo também ressaltou que o uso de máscaras continua sendo necessário no Brasil, conforme a orientação da ciência.

A entrevista foi conduzida pelos jornalistas Daniel Galvão e Eduardo Gayer. A íntegra dela pode ser vista no site do Estadão: https://tv.estadao.com.br/broadcast,papo-com-editor-presidente-da-fnp-critica-reforma-tributaria-e-quer-iss-unico-no-pais,1202790

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.