Aparte
Rogério Carvalho, a propósito de resposta: “Nossa prioridade, no momento, não é discutir 2022”

Rogério Carvalho: “Tem tido o trabalho muito bem avaliado por diversas lideranças políticas”

A propósito da nota em tom de análise “Com Lula ou sem Lula, PT de Sergipe fora do bloco de governistas vira pó na sucessão de Belivaldo”, produzida por esta Coluna Aparte nesta terça, 11, na qual o senador Rogério Carvalho, PT, é considerado “alheio, ou desgarrado, vaidoso e desagregador” frente ao processo político do Estado e “com um mandato que não fede e nem cheira”, a Assessoria de Imprensa do mandato do parlamentar pediu “direito de resposta”.

O pedido foi acolhido, como manda o bom senso jornalístico. O confuso texto, que transita entre a primeira e a terceira pessoa, vai a seguir. E quase não presta a atenção no conteúdo político da nota. Focou quase que somente na defesa da afirmação do “mandato que não fede e nem cheira” e é nutrido em eficácia propagandística sobre a ação deste parlamentar. É o que vai a seguir, entre aspas.

“A preocupação com a disputa eleitoral de 2022 tem sido destoante em relação à gravidade da pandemia, que já vitimou mais de 426 mil brasileiros, e da crise social e econômica que o Brasil atravessa. 

As diversas análises sobre as possíveis candidaturas devem esperar o momento adequado e respeitar as discussões e composições partidárias. Tudo para além disso não passa de especulação. 

Nossa prioridade, no momento, não é discutir 2022, mas apresentar alternativas à tragédia do Governo Bolsonaro, que já deixa 14,2 milhões de brasileiros desempregados e outros 5,9 milhões de desalentados. Bolsonaro é responsável por um desgoverno que sufoca o povo com o descontrole da pandemia, a falta de vacinas e a volta da inflação e da fome.

O senador Rogério Carvalho, PT-SE, tem feito um mandato marcado não só pelo enfrentamento dos desmontes promovidos pelo Governo Bolsonaro, mas também pela apresentação de soluções para os principais problemas do povo brasileiro e sergipano, como a manutenção da renda e do emprego e a alternativas para o enfrentamento da Covid-19. Rogério Carvalho foi líder do PT no Senado e, atualmente, representa o partido na mesa diretoria da Casa, além de atuar ativamente na CPI da Pandemia. 

Só para mencionar algumas ações deste ano, é do senador Rogério Carvalho a emenda ao orçamento que assegurou mais recursos para a saúde, para as micro e pequenas empresas e para o programa de manutenção do emprego e da renda. 

Também é dele o projeto que quer assegurar pensão por morte no valor de R$ 1,1 mil para menores de idade cujos pais tenham falecido em decorrência da Covid. Foi do senador Rogério ainda a iniciativa do pedido de ajuda internacional por parte do Senado Federal para assegurar mais vacinas para o Brasil.

Para Sergipe, foi o único parlamentar, naquele primeiro momento de crise em relação aos leitos de UTI’s, a pedir ao Ministério da Saúde os respiradores para o nosso Estado. Faltavam respiradores no país e mesmo assim, chegamos a conseguir mais de 100 equipamentos.

Além disso, destinou especificamente para a Covid, R$ 25 milhões, mais R$ 13 milhões para a saúde de Sergipe, sem falar nos projetos de benefício de renda para as famílias e os profissionais de saúde, numa forma de recompensa à incansável dedicação que exercem. 

Não podemos deixar de mencionar ainda a atuação do senador para assegurar recursos para o Sergipe. Esses recursos têm sido empregados principalmente para obras de infraestrutura aqui em Sergipe com os R$ 200 milhões para a recuperação de mais de 300 km de rodovias. Além de melhorar a qualidade de vida dos sergipanos e sergipanas, essas obras têm impacto econômico, gerando mais empregos para o povo no nosso Estado.

O protagonismo de Rogério Carvalho foi reconhecido e ele foi escolhido o melhor senador de Sergipe em 2020. Além disso, tem tido o trabalho muito bem avaliado por diversas lideranças políticas, inclusive o ex-presidente Lula”.

Foto: Jefferson Rudy - Agência Senado

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.