Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

Movimento Nacional de Direitos Humanos “exige a prisão imediata” dos agentes da PRF
Compartilhar

Movimento Nacional de Direitos Humanos do Estado de Sergipe: “Quebraram o protocolo da civilidade"

O Movimento Nacional de Direitos Humanos do Estado de Sergipe - MNDH - sentiu fortemente a gravidade do assassinato do cidadão Genivaldo de Jesus Santos por agentes da Polícia  Rodoviária Federal em Umbaúba, na última quarta-feira, 25, e pede a prisão dos policiais envolvidos.

Esse pedido, precedido de denúncia grave do caso do assassinato de Genivaldo de Jesus Santos, é feito com o apoio de 45 entidade representativas dos movimentos sociais sergipanos e nacionais.

“Quebraram o protocolo da civilidade e a luta que antes era pela dignidade, agora é por resgatar a humanidade perdida: morremos um pouco com Genivaldo, levantemos por ele”, diz um bordão do documento. Daqui pra frente é o conteúdo da nota pública.

“A atuação dos “agentes” da Polícia Rodoviária Federal - PRF/SE -, em Umbaúba-SE, que repercutiu nacionalmente e, em grande parte do mundo, com a exibição das bárbaras cenas de tortura, seguida de assassinato, são a prova flagrante dos crimes praticados contra Genivaldo de Jesus Santos, nordestino negro e pessoa com transtorno intelectual.

Mais uma vez, “agentes” estatais acusam, julgam e executam a sentença de pena de morte, em via pública, cercados por familiares e populares que, em vão, pediam pela vida da vítima, em total afronta aos direitos humanos e ao Estado Democrático de Direito.

O Movimento Nacional de Direitos Humanos de Sergipe - MNDH/SE -exige a prisão imediata desses indivíduos que representam grave ameaça à sociedade.

É necessário celeridade no processo administrativo para a exclusão desses membros da PRF, além do compromisso público institucional com a revisão de toda a polícia com treinamento em direitos humanos antirracista e para a mediação de conflitos.

Há exatos dois anos, no mesmo 25 de maio, George Floyd, foi assassinado por asfixia, também por “agentes” estatais, causando revolta mundial. Em Sergipe, a forma da morte e o requinte de crueldade contando com a improvisação da “câmara de gás” no porta-malas da viatura da PRF, que culminou com a asfixia de Genivaldo dos Santos, tudo isso na frente de tantas pessoas, “imobilizadas” pela mira das metralhadoras dos “agentes” que deviam proteger a população, deixa um recado explícito para toda a sociedade de que há uma autorização para matar.

É por isso que afirmamos: “Quebraram o protocolo da civilidade e a luta que antes era pela dignidade, agora é por resgatar a humanidade perdida: morremos um pouco com Genivaldo, levantemos por ele. 

Aracaju, 27/05/2022.

Assinam esta nota:

1. Adunirio seção sindical AndesSN
2. Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil
3. Articulação Popular São Francisco Vivo
4. Articulação Semiárido Sergipe – ASA.
5. Associação Aliados pelo Verso
6. Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong-Regional BA/SE)
7. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (Abrapec)
8. Associação Brasileira de Pesquisadores (as) Negros (as)
9. Associação de Catadoras e Catadores de Mangaba Padre Luis Lemper
10. Associação dos Docentes da Universidade Federal de Sergipe - Adufs
11. Associação Remanescente de Quilombo Brejão dos Negros
12. Cáritas Arquidiocesana de Propriá
13. Cáritas Regional Nordeste III
14. Central Única dos Trabalhadores - CUT
15. Centro Cultural Eurukerê
16. Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza
17. Centro de Integração Raio de Sol - Ciras
18. Centro Dom José Brandão de Castro - CDJBC
19. Coletivo N’Ativa
20. Comunidade Bom Pastor
21. Conselho Estadual de Segurança Alimentar - Consean
22. Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional de Canindé de São Francisco
23. Consórcio Nacional dos Núcleos de Estudos Afro-brasileiros - Conneabs
24. Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Sergipe - Fetase
25. Fórum de Comunidades Tradicionais de Sergipe
26. Grupo de Estudos em Educação Ambiental desde el Sur Unirio - Geasur)
27. Grupo de Estudos em Trabalho, Questão Social e Serviço Social - Geteq
28. Instituto Braços - IB
29. Instituto Nacional de Inclusão Social - Inis
30. Ligação e Organização - Elo
31. Marcha Mundial de Mulheres
32. Movimento de Lutas, Vilas e Favelas - MLB
33. Movimento de Pequenos Agricultores - MPA
34. Movimento Nacional de População de Rua de Sergipe - MNPR/SE
35. Movimento Negro Unificado - MNU)
36. Movimento Sem Terra - MST
37. Movimento Tudo Para Todos
38. Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas - Neabi/UFS
39. Observatório da Educação Ambiental Brasileira - Observare
40. Os Caatingas
41. Pastoral Carcerária de Sergipe
42. Rede Nacional de Advogadas e Advogados Populares - Renap
43. Sociedade de Estudos Étnicos, Políticos, Sociais e Culturais - Omolàiyé
44. Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe - Sindasse
45. União de Negros pela Igualdade - Unegro/SE

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.