Aparte
Sucessão da OAB: Inácio Krauss não se lançou, mas dá sinais de que não ficará de fora

Inácio Krauss: não inaugurou campanha, mas isso não quer dizer nada

Na nota “OAB-SE tem sucessão em novembro deste ano, mas campanha está geladíssima”, publicada no dia 8 de setembro, esta Coluna Aparte manifestava estranhamento com o ritmo da campanha pela Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Sergipe, neste 2021. 

“A eleição para escolher o sucessor de Inácio Krauss e toda a Diretoria com a qual ele toca a OAB-SE acontecerá na segunda quinzena de novembro”, lembrava a nota. E tudo “passa por um processo de plena letargia”, pontuava o mesmo informe.

Setembro está quase indo embora e de lá para cá o único fato que aconteceu no terreno da sucessão da OAB foi que o advogado Danniel Costa botou sua campanha nas ruas querendo, pela oposição, desbancar o presidente Inácio Krauss.

Inácio Krauss tem sido provocado por esta Coluna sobre a ida dele ou não à reeleição, mas nada diz. Prefere o silêncio. Mas nisso não há a menor garantia de que ele não venha para a disputa. Deve estar se cacifando e esperando a hora certa de entrar na dança.

A prova cabal de que o atual presidente não deve passar incólume pelo processo sucessório de si mesmo é a contratação do jornalista e marketeiro político David Leite, que anda rondando a pessoa pública do Krauss.

Para se fazer presente e sair na frente neste debate, Danniel Costa também não chegou sozinho. Ele contratou o jornalista e marketeiro político Cicero Mendes.

David Leite tem levado vantagem nas duas últimas eleições da OAB, nas quais ajudou a eleger Henri Clay Andrade e o próprio Krauss.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.