Aparte
Marcos Santana acha improvável aliança entre Rogério Carvalho e Edvaldo Nogueira. Mais por Lula

Marcos Santana: "Nada contra Edvaldo Nogueira. Mas acho meio impossível”

O prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana, MDB, um dos eleitores declarados da pré-candidatura de Rogério Carvalho, PT, ao Governo de Sergipe, reagiu com ceticismo à possibilidade de uma aliança futura em 2022 entre o seu pré-candidato e o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PDT, que é também pré-candidato.

Esta possibilidade, ou hipótese, foi tratada na análise “Sob maus tratos entre governistas, Edvaldo Nogueira pode atravessar a rua da sucessão e estender mão a Rogério”, feita por esta Coluna Aparte, na edição da última quinta-feira, 16 de dezembro.

Marcos Santana, depois de lê-la, ligou para a Coluna e manifestou-se, como lhe é de costume, desconfiado com o conteúdo dela. “Eu até gostaria de uma aliança dessas. Nada contra Edvaldo Nogueira. Mas acho meio impossível”, sentenciou.

Na visão de Marcos Santana, o “meio impossível” de acontecer não seria expressamente por divergências pessoais entre os dois pré-candidatos. Seria por reação de Luiz Inácio Lula da Silva à figura pública e política de Edvaldo Nogueira.

Para Marcos Santana, a visão benevolente que Lula teria de Edvaldo, segundo a análise deixou passar, não é bem uma verdade. Ao contrário, Lula andaria, segundo o sancristovense, meio ressabiado com Edvaldo em virtude de umas certas friezas do prefeito aracajuano à pessoa dele.

E citou episódios que os petistas - Marcos é um emedebista - geralmente citam quando querem ejetar Edvaldo Nogueira da boa interlocução: ele fora frio-glacial com Lula nos episódios de prisão, dera-lhe as costas quando passou por Aracaju, sem sequer ir ao seu encontro. “Por isso que acho essa aliança improvável”, reforçou. Vai ver que!  

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.