Aparte
Paulo Pedroza deixa Sindifisco, mas fica na luta. “Quero continuar dando minha contribuição”

Paulo Pedroza: “Grandes vitórias nos permitiram estabilidade jurídica e possibilidade de progredir”

Depois de seis anos presidindo o Sindicato do Fisco do Estado de Sergipe - Sindifisco -, Paulo Roberto Pedroza de Araújo deixa a Diretoria da entidade com o que ele considera um saldo positivo “e de bastante conquistas, sejam elas profissionais ou pessoais”.

Técnico em Contabilidade, Paulo Pedroza chegou a cursar Medicina na Universidade Federal de Alagoas, onde iniciou sua atuação política e nunca mais parou. Hoje ele é uma referência na economia sergipana e na defesa dos direitos de trabalhadores.

“É preciso estar atualizado nas questões financeiras do Estado, e isso influencia profissionalmente. Do ponto de vista pessoal, requer muito tempo, precisa estar muito disponível, porque a entidade tem uma grande responsabilidade com a categoria, isso pode fazer com que, muitas vezes, questões pessoais fiquem de lado. Mas o saldo é extremamente positivo em ambas as situações”, garante Paulo.

A decisão de deixar a Diretoria foi tomada por ele e de forma bem pessoal. “Inclusive, a nova Diretoria é composta por pessoas que integravam a nossa gestão. Mas essa oxigenação é necessária para fortalecer a nossa luta”, opina. De acordo com Paulo, duas grandes conquistas marcaram sua passagem pela Presidência da entidade: a incorporação de gratificações em 2015 e a restruturação de toda a carreira do Fisco, a partir de 2016.

“Foram grandes vitórias que nos permitiram uma estabilidade jurídica e a possibilidade de progredir”, ressalta Paulo Pedroza. Dos seus 59 anos de idade, mais de 30 são dedicados à militância e é por isso que, mesmo deixando o cargo diretivo, Paulo não se vê longe da luta, seja ela no âmbito da política sindical ou partidária, já que é filiado ao PCdoB.

“A importância do sindicalismo na minha vida é muito grande. A luta sindical foi fundamental para a minha formação e para a minha vida como um todo, porque ela é uma continuidade da minha participação no processo político. Esse período de seis anos só fortaleceu minha convicção da necessidade desse engajamento de cada cidadão, seja em sindicato, associação de moradores ou movimentos sociais como um todo”, reitera.

Paulo Pedroza acredita que esse engajamento é capaz de fortalecer a democracia, as instituições e garantir os direitos cada vez mais ameaçados. “Temos que fazer esse enfrentamento, porque só com a sociedade civil organizada faremos avançar o processo político, garantindo as liberdades e os direitos sociais. Por isso a luta continua. Quero continuar dando minha contribuição”, assegura. O novo presidente do Sindifisco é José Antônio dos Santos.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.