Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

Carminha Paiva como vice de Valmir de Francisquinho pode fechar ainda mais o tempo em favor do Pato Rouco
Compartilhar

Carminha Paiva: como vice, conferiria enorme poder a Valmir

A chapa com Valmir de Francisquinho, PL, candidato ao Governo de Sergipe, e Maria do Carmo Paiva da Silva, a Carminha, Republicanos, como candidata a vice-governadora, poderá ter um impacto demasiado positivo sobre o projeto desse itabaianense de se tornar governador do Estado por uma janela plenamente do novidadeiro.

Para não deixar o leitor assim solto e angustiado, diga-se de lagarada quem é essa tal de Carminha: Maria do Carmo Paiva da Silva é uma assistente social, secretária de Assistência Social do município de Nossa Senhora do Socorro e esposa do prefeito desta cidade, Inaldo Luis da Silva, conhecido pela maioria das pessoas como Padre Inaldo, mas que de padre não tem mais nada, posto que deixou a batina e tem uma vida civil normal.

Carminha, 54 anos, é baiana de Paulo Afonso, mas já se acha uma sergipana por adoção pelo fato de estar em Sergipe há 34 anos - desses, são 33 em Socorro. Ela morou pouco mais de um ano no Conjunto Augusto Franco, em Aracaju, mas logo depois comprou uma casa no Conjunto João Alves, em Socorro, onde reside até hoje. Nunca se envolveu antes em disputa eleitoral.

Ela tem uma sensibilidade pro social reconhecidamente importante, está pré-candidata a deputada estadual com tentáculos espalhados por todo o Estado e com perspectivas de chegar a Alese entre os mais votados se for essa a disputa dela. 

Eliane Aquino: duas vezes vice em duas esferas fortes

Se essa chapa enfim assim se constituir - Valmir e Carminha -, será uma composição que virá repleta de bons significados, de tônus e de amplos alcances. Todos eles inclusivos em favor do Pato Rouco de Itabaiana. Quais seriam esses significados?

Primeiro: estaria Valmir de Francisiquinho sendo, entre os quatro pré-candidatos de musculatura na pretensão de suceder Belivaldo Chagas, o primeiro a fechar um pacto de gênero. O primeiro a ter uma mulher ao seu lado como parceria na busca pelo principal posto de poder do Estado.

Não custa lembrar aqui: as mulheres são quase 52% da população do Brasil contra os quase 48% de homens. Os 4% que excedem nelas podem fazer estragos retumbantes, ainda mais com a sede institucional que se manifesta hoje no sentido de que a elas deve ser facilitado o acesso ao poder.

E é bom lembrar aos esquecidinhos que as últimas três eleições mais importantes do Estado de Sergipe tiveram três mulheres por vice. As de Edvaldo Nogueira à Prefeitura de Aracaju em 2016 e 2020 e a de Belivaldo Chagas em 2018, ao Governo do Estado.

Ok: essas três mulheres foram, na real, duas. Mas simbolizaram três vitórias de gênero. Porque Eliane Aquino, a atual vice-governadora a vencer em 2018, foi também a vice-prefeita eleita de Edvaldo em 2016. Katarina Feitoza manteve a tradição em 2020 ao se eleger vice ao lado de Edvaldo.  

Katarina Feitoza: mantendo o traçado de gênero, elege-se vice de Aracaju em 2020

Sim, mas vamos a mais significados no caso de Carminha vir a ser a candidata vice na chapa de Valmir. Segundo: isso tira o Pato Rouco da redoma da quarta maior cidade do interior do Estado de Sergipe e o insere no contexto da segunda, que é Nossa Senhora do Socorro, coladinha em Aracaju. Isso vale pontos e pontos.

Terceiro: tira do staff do grupo do Governo do Estado - logo da pré-candidatura de Fábio Mitidieri - a presença e o peso do grupo liderado por Padre Inaldo.

Se você é do tipo que torce o nariz para a expressão “do grupo liderado por Padre Inaldo”, basta dar uma olhadinha pelo retrovisor recente e perceber que Inaldo se reelegeu prefeito em 2020 contra o deputado federal Fábio Henrique e o deputado estadual Dr Samuel. Os dois foram pessoalmente derrotados e não prepostas deles.

Quarto: Carminha por vice, confere a Valmir de Francisquinho e à óbvia parceria com Padre Inaldo a primazia de ver rompida definitivamente a boa relação que Inaldo tinha com Luciano Bispo, ao ponto de ter votado com ele na eleição de 2018 para a Alese. Valmir e Luciano são arqui-inimigos pegajosos dentro de Itabaiana e devem estender uma ilustre passarela estadual para esse desafeto provinciano.

Quinto: sendo Carminha uma filiada do Republicanos, a ida dela à vice de Valmir de Francisquinho traria uma outra complexidade para a chapa dos governistas: levaria o grupo de Heleno Silva, Jony Marcos e do deputado federal Gustinho Ribeiro, que são em tese signatários de Fábio Mitidieri.

Portanto, e sexto, Carminha por vice amplia as chances de uma vitória de Valmir nesta disputa. Uma vitória que é pedra cantada por muita gente em Sergipe - o que é algo até perigoso.

O que se diz no entorno do Padre Inaldo é que as possibilidades dessa parceria estão crescendo mais do que massa sob fermento. Como Inaldo é do Progressistas, o mesmo partido de Laércio Oliveira, dir-se-ia que tudo isso se dá sob a anuência deste. De modo que o tempo pode fechar ainda mais em favor do Pato Rouco e sob novas adesões.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.