Aparte
CPI da Covid: ampliação de investigações para estados e municípios ainda é dúvida

Alessandro Vieira (na tela) está entre os senadores que defendem a inclusão de estados e municípios no escopo da CPI

A leitura no Plenário do Senado do requerimento de criação da CPI da Covid está prevista para esta terça-feira, 13.

O documento pede a criação de uma Comissão Parlamentar De Inquérito para investigar ações e omissões do Governo Federal no enfrentamento da pandemia e o colapso da saúde no Estado do Amazonas no começo do ano.

Entretanto, alguns senadores propõem que as investigações alcancem também os governos estaduais, distrital e municipais, o que pode ocorrer com a ampliação das investigações ou até com a criação de outra Comissão.

O senador Alessandro Vieira, Cidadania-SE, protocolou requerimento junto à Mesa Diretora do Senado pedindo a ampliação do escopo da CPI da Covid.

Alessandro quer que a Comissão investigue também atos praticados por agentes políticos e administrativos dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios “na gestão de recursos públicos federais destinados a custear as políticas sanitárias adotadas com o objetivo de combater a pandemia da Covid-19 e seus efeitos”. 

“Garantimos a abertura da CPI da Covid e agora apresentamos o pedido para ampliar o seu escopo, incluindo os atos praticados por governadores, prefeitos e outros agentes administrativos. É preciso apurar a verdade em todas as esferas. Quem não deve não teme!”, escreveu Alessandro Vieira pelo Twitter.

Já o senador Eduardo Girão, Podemos-CE, está prestes a protocolar um requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar não só o Governo Federal, mas também os governos dos demais entes federados.

“Conseguimos! Já são mais de 34 assinaturas até o momento! Reunimos o número de assinaturas suficientes para protocolar uma CPI abrangendo União, estados e municípios. Espero que a verdade venha à tona, quem tá devendo vai ter que se justificar e quem errou vai ter que ser punido”, publicou Girão no início da tarde desta segunda.

Por sua vez, o senador Roberto Rocha, PSDB-MA, avisou que vai apresentar requerimento para que seja criada uma CPI mista. Ou seja, uma Comissão Parlamentar de Inquérito com participação de senadores e deputados federais.

Ele pede que essa comissão mista investigue possíveis irregularidades no uso de recursos federais por estados, Distrito Federal e municípios no combate à pandemia.

As propostas foram recebidas com apoios de alguns senadores e críticas de outros. 

Para o líder da minoria no Senado, senador Jean Paul Prates, PT-RN, o desempenho dos governos estaduais e municipais pode ser investigado pelas respectivas assembleias legislativas e câmaras municipais.

“A União é responsável por distribuir as verbas orçamentárias para todos os entes da federação. Se aconteceram irregularidades na destinação ou mesmo na aplicação desse dinheiro, é preciso apurar tudo”, diz Prates.

“Se o Governo Federal não fez nada de errado, não há o que temer, bem como os gestores estaduais e municipais que fizeram uso dessas verbas. Uma CPI não é um bicho de sete cabeças. Além de ter o papel de investigar, ela pode contribuir com propostas de médio e longo prazo para o enfrentamento da covid-19 no país. Vamos ter que conviver com esse vírus e as consequências e as sequelas da covid-19 durante muito tempo”, afirmou.

Pelo Twitter, os senadores Luiz do Carmo, MDB-GO, Elmano Férrer, PP-PI, Flávio Arns, Podemos-PR, Jorge Kajuru, Cidadania-GO, e Ciro Nogueira, PP-PI, afirmaram apoiar a inclusão dos governos subnacionais entre os investigados.

“A CPI é necessária para investigar as inúmeras denúncias de atos que colocaram o Brasil neste caos que estamos vivendo”, afirmou Arns.

Ciro Nogueira, por sua vez, argumentou que “neste momento grave deveríamos estar totalmente empenhados em garantir socorro aos brasileiros e não desviar desse foco com CPIs. Mas já que a comissão deve ser instaurada, que façamos uma investigação completa”.

Em contraponto a essa posição, os senadores Fabiano Contarato, Rede-ES, Cid Gomes, PDT-CE, e Randolfe Rodrigues, Rede-AP, foram às redes sociais defender que cabe às assembleias legislativas investigar possíveis irregularidades nos governos estaduais.

Cid Gomes afirmou que ampliar a CPI da Covid ou criar outra comissão “serve para desviar do fato principal e gerar confusão”. Ele também ressaltou que “CPI não é brincadeira; há uma comissão para ser instalada, inclusive com determinação do STF”. 

Para Randolfe Rodrigues, o presidente da República está tentando interferir na instalação da CPI da Covid. 

“Não vamos perder de vista: as assembleias estaduais podem investigar as ações dos governadores. O Congresso se dedica aos desvios federais! No Amapá, já há pedido de CPI pelos deputados”, destacou Randolfe. (Agência Senado).

Foto: Pedro França

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.