Aparte
Faixas exclusivas de ônibus das novas avenidas de Aracaju esperam abrigos para funcionamento

Corredores da Hermes Fontes esperam pelos pontos  

“O que está faltando para os corredores entrarem em operação completamente são os abrigos que foram contratados por outra empresa e, por causa da pandemia, houve uma falta geral de alumínio, o que acarretou a demora para começar a fazer os abrigos”.

Esta explicação dada nesta segunda-feira, 1º de março, pelo presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização – Emurb -, Sérgio Ferrari, impacta positivamente sobre boa parte dos aracajuanos, que vivem a se perguntar por que os corredores exclusivos de ônibus de novas avenidas de Aracaju, sobretudo os da Hermes Fontes, nunca entram em funcionamento.

“O contrato já foi concluído e está na fase final de ajustes. A empresa que ganhou a licitação já conseguiu comprar o alumínio e já estamos trabalhando num protótipo para estudar e começar a montar entre duas e três semanas. No momento, estamos fazendo a fundação desses abrigos e a previsão é concluir todos eles em até dois meses”, diz Ferrari.

Os principais corredores de transporte público de Aracaju passaram por uma readequação geral. Esse conjunto de obras, que integra o Projeto de Mobilidade Urbana de Aracaju, já contemplou quatro dos principais corredores de transporte da cidade – Beira-Mar, Centro/Augusto Franco, Hermes Fontes e Augusto Franco. Para isso, a Prefeitura de Aracaju investiu cerca de R$45 milhões. 

Desses, no entanto, o que envolveu maior complexidade foi o da Hermes Fontes. O corredor possui 6,8 km de extensão e engloba as avenidas Hermes Fontes, Adélia Franco e Empresário José Carlos Silva e, assim, a obra veio a beneficiar sete bairros - São José, Salgado Filho, Suíssa, Luzia, Grageru, Inácio Barbosa e São Conrado, num investimento de R$ 22,3 milhões com recursos conveniados junto ao Governo Federal. 

A obra do corredor Hermes Fontes revitalizou as três avenidas e as dotou de nova estrutura com sinalização, calçadas e rampas de acessibilidade, de modo a proporcionar mais conforto e segurança aos milhares de condutores, pedestres e usuários do transporte coletivo.

Entre as novidades estão a inclusão dessa faixa exclusiva para os ônibus, ao lado esquerdo do canteiro central, e a construção de uma nova ciclovia na avenida José Carlos Silva.

Já concluída a intervenção, agora está na segunda etapa, que consiste na instalação dos 24 abrigos ao longo do corredor, projetados em estrutura de alumínio. 

Depois que todos os abrigos forem instalados, caberá à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito - SMTT - realizar ações de educação no trânsito para que as pessoas saibam como utilizar a faixa e possam descer do transporte público no local correto. “Até porque é uma inovação e trará melhoria no tempo de transporte”, completa Ferrari. 

O superintendente municipal de Transportes e Trânsito, Renato Telles, ressalta que a criação desse corredor de mobilidade, que une parte das principais avenidas da cidade, já está trazendo melhorias para o trânsito em geral e mais agilidade para os ônibus do transporte coletivo. 

“As vias recapeadas e amplas trazem mais fluidez e organização ao trânsito. Além disso, vale destacar a construção da faixa exclusiva destinada aos ônibus, que reduz o tempo de viagem dos coletivos, oferecendo aos usuários um deslocamento mais rápido. O corredor, com certeza, é um marco para a mobilidade de Aracaju”, frisa Renato.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.