Aparte
A Riachão de Chico Dantas e de Lourival Fontes chega aos 151 anos buscando ressignificação histórica  

Simone de Dona Raimunda: “Conseguimos num sebo do Rio, e resgatamos, todo o acervo de livros de Lourival Fontes”

Que a cidade de Riachão do Dantas é o espaço físico sergipano de onde vem grandes figuras brasileiras, como o enorme romancista Francisco J. C. Dantas, o político e também escritor Lourival Fontes, pai do temível DIP - Departamento de Imprensa e Propaganda - do Governo Getúlio Vargas no Estado Novo, e Genésia Fontes, a Dona Bebé do Oratório de Bebé, uma mulher caridosa e filantropa, todo mundo bem sabe.

Ou melhor, nem todo mundo sabe. E isso sinaliza um danoso prejuízo para a memória desta cidade que neste domingo, dia 9, faz 151 de emancipação política. O prejuízo é, também, para todo o povo sergipano, carente de ver reconhecidos os seus nomes mais significativos na cultura e na vida social do Estado e do Brasil nascidos ali.

Quem prefere pensar assim é a prefeita da cidade, Simone Andrade Farias Silva, a Simone de Dona Raimunda, PSD, 42 anos. Mas Simone está muito disposta a retirar a pedra de cima da memória dessa cidade e dos seus grandes nomes. Está disposta a mudar essa realidade e torna-la mais visível.

“O que eu tenho a dizer é que Riachão do Dantas é um município muito rico culturalmente, mas infelizmente as pessoas não conhecem essa nossa identidade, porque antes nunca foi trabalhado esse lado. Nós temos escritores como Chico Dantas, Ibarê Dantas, João Oliva e Lourival Fontes. Aliás, quero anunciar, inclusive, que conseguimos num sebo do Rio de Janeiro, e resgatamos, todo o acervo de livros de Lourival Fontes - creio que Sergipe nem os tenha reunidos”, festeja Simone.

“Nós vamos revitalizar um espaço para expor o legado dessas pessoas e fazer com que as outras pessoas, através desses nomes históricos, conheçam melhor Riachão”, diz Simone de Dona Raimunda - Dona Raimunda é o nome da mãe dela, outra personalidade vistosa do município. Simone quer começar a intervir positivamente na autoestima de Riachão e dos riachãoenses já pela programação desse 9 de maio, o dos 151 anos.

“Nossa programação, em decorrência da pandemia de coronavírus, vai ser toda virtual, com uma exposição de arte online na qual mostraremos a história de Riachão do Dantas. Montamos uma Galeria de Arte com os trabalhos de todos os artistas da cidade que foram contemplados com a Lei Aldir Blanc - isso vai de toda a artesania do lugar à produção de móveis rústicos. Fotografamos tudo isso e estamos expondo para que as pessoas visualizem. Ao todo, foram contempladas mais de 100 pessoas pela Lei Aldir Blanc. A exposição vai durar o mês de maio inteiro”, diz Simone de Dona Raimunda. Ela está prefeita em segundo mandato. A mãe foi vereadora.

“Estou muito feliz de saber que estou sendo a prefeita deste centenário e meio de Riachão do Dantas - desde o ano passado que a gente relembra e comemora essa data. Muito me alegra que estejamos mostrando bem a nossa identidade cultural. Isso me deixa lisonjeada”, diz ela.

“Estamos recompondo a biografia de Genésia Fontes, a Dona Bebé. Estamos fazendo um filme sobre a vida dela. Poucos sabem que Dona Bebé é uma irmã de Lourival Fontes. Ela é uma riachãoense de família abastada, mas sempre gostou de fazer caridade. Não era freira, mas era muito religiosa. Morreu atropelada. Temos muitos vultos significativos de Riachão sobre os quais precisamos jogar luzes e mostrar mais para os sergipanos. Nosso Governo tem projeto para fazer isso e vamos cumprir”, afirma a prefeita.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.