Aparte
Zezinho Sobral: “Não é possível ser conduzido por uma Executiva Estadual que contraria toda a construção do Podemos"

Zezinho Sobral: sem pressa de decidir novo destino, mas no Podemos não ficará

O deputado estadual Zezinho Sobral, Podemos - por enquanto -, já tem itinerário certo depois da rasteira que tomou da Executiva Nacional, que lhe tirou a Presidência da sigla em Sergipe e a entregou à delegada Danielle Garcia, ex-candidata a prefeita de Aracaju e ex-militante do Cidadania.

Zezinho Sobral admite que Danielle Garcia tem uma direção política totalmente divergente da sua e que, portanto, não será possível ser conduzido por uma Executiva Estadual que contraria toda a construção orgânica política do Podemos até então nos municípios de Sergipe.

Ele e outros filiados do Podemos apresentaram renúncia das suas funções. “Nós analisaremos as condições e, no processo de construção coletiva, vamos encontrar o papel que nos cabe a desempenhar na realização de um projeto maior. Aí, sim, haverá definição”, afirma Zezinho Sobral. A definição, segundo ele, virá em dois tempos bem definidos.

“Ou na janela partidária do ano que vem, ou se houver uma autorização judicial anterior do Tribunal Regional Eleitoral”, revela. Zezinho garante que essa nova condição não muda em absolutamente nada a sua atuação enquanto líder do Governo na Assembleia Legislativa de Sergipe - Alese.

Zezinho também garante que não acompanhou a negociação do partido com a delegada, como ela tem alegado em entrevistas - inclusive a este Portal. “Eu tive conhecimento. É diferente. A negociação que ela fez foi com a Renata Abreu (presidente nacional). A presidente me comunicou depois que acertou os termos da negociação”, ressalta o deputado. Confira a entrevista de Zezinho.

Aparte - Deputado, qual o seu itinerário partidário a partir de agora, com a Presidência do Podemos entregue à delegada Danielle Garcia?
Zezinho Sobral -
A delegada tem uma direção política totalmente divergente da nossa. Não é possível ser conduzido por uma Executiva Estadual que contraria toda a construção orgânica política do Podemos até então nos municípios de Sergipe.

Aparte - O senhor e o grupo que lhe segue já definiram algo?
Zezinho Sobral -
Nós analisaremos as condições e, no processo de construção coletiva, vamos encontrar o papel que nos cabe a desempenhar na realização de um projeto maior. Aí, sim, haverá definição.

Aparte - Se o senhor migrar para outra sigla, quando isso deverá ocorrer?
Zezinho Sobral -
Em dois tempos bem definidos: ou na janela partidária do ano que vem ou se houver uma autorização judicial anterior do Tribunal Regional Eleitoral.

Aparte - Essa nova condição muda algo no fato de ser líder do Governo na Alese?
Zezinho Sobral -
 Não, em absoluto. Além de mim, temos que considerar que a deputada Diná Almeida também é do Podemos e somos da base aliada do Governo do Estado. Além de líder do governo, sou presidente de Comissões e Diná também preside Comissões estratégicas importantes da base governista.

Aparte - Presidir um Diretório será condicionante para a escolha do senhor?
Zezinho Sobral -
Não. Cada momento da nossa vida exige um determinado esforço. Presidir um partido foi importante, necessário nessa primeira fase da construção de um pensamento político, de um grupo político que tem um projeto republicano e coletivo. Na fase seguinte, poderemos integrar os projetos que estejam compatíveis com os nossos princípios de democracia.

Aparte - De fato, o senhor acompanhou essa negociação do partido com a delegada, como ela alega?
Zezinho Sobral -
Não. Eu apenas tive conhecimento e isso é diferente. Na negociação que ela fez foi com a Renata Abreu (presidente nacional), a presidente me comunicou depois que acertou os termos. Quando fui comunicado pela Renata que ela viria a Sergipe filiar a Danielle, fui informado, também, que além da filiação, ela teria o comando da Executiva Estadual. Em razão disso, o Podemos Mulher e todos os Diretórios Municipais apresentaram renúncia das suas funções e eu apresentarei também a minha renúncia do Diretório Estadual.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.