Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

É jornalista desde 2010, com atuação em veículos impressos e assessorias de comunicação.

Linda Brasil confirma pré-candidatura a estadual em nome de garantia das “maiorias minorizadas”
Compartilhar

Linda Brasil: “Podem esperar que eu me dedique para continuar a atuar de forma independente no parlamento”

A primeira mulher trans eleita em Aracaju pode alçar novos voos e tentar o pioneirismo também na Assembleia Legislativa de Sergipe - Alese. É que Linda Brasil e seu Psol estudam a viabilidade de uma candidatura dela a deputada estadual. 

Hoje, ela se considera pré-candidata e tem o objetivo de ocupar uma cadeira na Assembleia, sendo também a primeira mulher trans na Alese, dando visibilidade e tendo a possibilidade de debater, a nível estadual, a pauta da garantia dos direitos.

“Os direitos humanos, os direitos da classe trabalhadora, do respeito ao meio ambiente, da luta por um Estado onde as pessoas possam viver com respeito à diversidade, provocando mudanças nessa estrutura política, que sempre foi dominada pelos mesmos agrupamentos, os mesmos coronéis”, justifica Linda. 

Segundo ela, são essas bandeiras que lhe são força para prosseguir e buscar outros espaços e instâncias. “Minha pré-candidatura é em função dessa luta por justiça social e contra toda forma de opressão e desigualdade social”, diz.

“Ela vem em nome dessa nova perspectiva de fazer política, a partir de um viés questionador e transformador e da minha concepção de uma proposta de atuação política diferenciada. Em nome dessa necessidade de garantir a democracia, já que estamos num momento tão difícil, na qual ela é constantemente ameaçada”, completa Linda Brasil. 

De acordo com a, até então, vereadora, a pré-candidatura não nasceu de um pedido do partido, e sim de uma reivindicação das pessoas, seja em Aracaju ou no interior. “Elas colocam essa oportunidade em virtude da repercussão que minha eleição teve, por ter sido a mais votada, e também pela minha atuação em diversas áreas. Tudo isso faz com que a população veja essa opção e confie em mim como representante na Alese”, analisa. 

E o que esperar de uma Linda Brasil deputada? “Podem esperar que eu me dedique o máximo possível para continuar a atuar de forma independente no parlamento, de forma autônoma e em favor da população, das maiorias minorizadas, e comprometida  com a luta social”, garante. 

Linda foi eleita vereadora com 5.773 votos. Ela é educadora e ativista LGBTQIA+ e tem travado embates importantes na Câmara Municipal de Aracaju. 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.