Aparte
Santos Cruz é o 2º ex-ministro de Bolsonaro a ir pro Podemos; e mantém discurso antibolsonarista

Santos Cruz evento com a presença de Sergio Moro: "Respeito tem que ser restaurado no Brasil"

Depois de filiar o ex-juiz e ex-ministro da Justiça do Governo de Jair Bolsonaro, Sergio Moro, o Podemos anunciou nesta quinta-feira, 25, em Brasília, a filiação do general Santos Cruz, ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República sob a gestão de Bolsonaro.

Segundo relembrou o jornal A Folha de S. Paulo nesta quinta, “Santos Cruz foi demitido por Bolsonaro em junho de 2019 após divergências a respeito da comunicação do governo”.

“Ele foi o terceiro ministro a deixar a gestão do presidente. Antes dele, saíram Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência) e Ricardo Veléz (Educação). O general teve embates com os filhos do presidente, em especial o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), e também com o escritor Olavo de Carvalho”, escreveu a Folha.

“Desde que deixou o governo, o general tornou-se um crítico da gestão Bolsonaro. O militar já disse ser uma “ameaça absurda” as falas do presidente de que poderia não haver eleição no Brasil em 2022 caso não fosse adotado o voto impresso, em julho deste ano”, reiterou o jornal.

Ao se filiar ao Podemos, Santos Cruz manteve o mesmo discurso forte e de reatividade às práticas políticas do bolsonarismo. “O respeito tem que ser restaurado no Brasil. Respeito às pessoas, às instituições, aos demais partidos. Diálogo e respeito devem ser mantidos”, disse ele.

“Não podemos descer para uma campanha de fake news em que o Brasil não vai ganhar nada. Esse extremismo entre direita e esquerda leva à violência. O Brasil tem que repudiar todo esse fanatismo político”, reforçou.

Santos Cruz também rejeitou a criminalização da política e destacou que as soluções devem ser construídas dentro da democracia. “A política não pode ser criminalizada. A política é a única forma de mudar a realidade. As soluções devem aparecer dentro do processo político”, reforçou.

Ele defendeu, ainda, a valorização das políticas públicas no Brasil. “A educação é a esperança de futuro que nós temos. Precisamos traduzir democracia em saúde, educação, moradia, alimentação, segurança, emprego, honestidade e transparência”, pontuou.

“É uma honra. Mais um grande presente para o Podemos”, disse a presidente do partido, deputada federal por São Paulo, Renata Abreu.

Sergio Moro, um dos responsáveis pela filiação de Santos Cruz, saudou a chegada do seu novo colega de partido. “O ato de hoje representa o projeto que queremos para o Brasil. Um projeto com ideias, mas acima de tudo com pessoas de credibilidade. Aqui temos uma síntese da nossa proposta. O Podemos ganha muito”, disse Moro.

Ao se filiar, Santos Cruz se colocou à disposição para ajudar o Brasil. “Acredito no projeto e na pessoa de Sergio Moro. É uma oportunidade participar e apoiar esse projeto liderado pelo Podemos", pontuou.

Líder do Podemos no Senado, Alvaro Dias, do Paraná, também deu as boas-vindas a Santos Cruz. “Nossas homenagens ao general Santos Cruz que vem valorizar a missão assumida pelo Sergio Moro. Nós renegamos o ódio, seja da esquerda ou da direita. Nós estamos aqui para a construção. Com Moro e Santos Cruz e outros tantos, vamos buscar de volta o país que nos roubaram”, disse Dias.

Foto: Robert Alves

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.