Aparte
Waneska Barboza garante que “Secretaria não vai privilegiar classes” na vacinação

Waneska Barboza: “Quem faz esse tipo de crítica, faz um desserviço à sociedade”

A administração municipal de Aracaju chega ao final de fevereiro imunizando 100% dos idosos com mais de 90 anos, 100% dos idosos acamados e institucionalizados e 62,1% dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente. 

Estas informações são da secretária municipal da Saúde, a médica Waneska Barboza, após denúncias de que Aracaju teria sido o município sergipano que menos aplicou a primeira dose da vacina, ficando atrás de cidades como General Maynard.

Mas aqui há um probleminha de proporcionalidade a ser levado em conta: ocorre que enquanto General Maynard recebeu cerca de 70 doses, Aracaju recebeu 30 mil. Isso porque a capital concentra a maior população e o maior número de profissionais de saúde do Estado, recebendo e aplicando, portanto, mais doses do imunizante. “Precisamos entender que os critérios de vacinação estão relacionados a riscos de exposição” explica Waneska.

Dessa forma, dentro do grupo dos profissionais, por exemplo, a prioridade é vacinar os que estão diretamente lidando com pacientes positivados.

“Vamos vacinar todos, mas não podemos esquecer que temos um grupo que tem maior risco, pela própria atuação deles, que gera maior exposição”, esclarece.

“A Secretaria não vai privilegiar classes. Ela vai atender aquele trabalhador que está na linha de frente, que esteja exposto ao paciente com Covid”, reforça Waneska.

Diante disso, para Waneska Barboza, as críticas sobre a velocidade da vacinação são infundadas. “Se temos todas as estratégias montadas e dependemos da vinda do profissional de saúde, não há o que se falar em velocidade”, diz ela.

“Quem faz esse tipo de crítica, por desconhecimento, faz um desserviço à sociedade, porque acaba questionando a credibilidade do processo e fazendo com que desconfiem”, analisa a secretária Waneska.

Segundo Waneska, justamente para evitar esse tipo de desconfiança, a administração envia ao Ministério Público, diariamente, informações sobre o plano de vacinação.

“Nós informamos os critérios, a quantidade de vacinas, quem se vacinou, etc. Obviamente que vai haver situações que não dependem da governabilidade da Prefeitura e sim da própria instituição, que pode colocar profissionais que não são linha de frente para se vacinar. Mas a responsabilidade é deles”, reitera.

Waneska deixa claro que a Secretaria de Saúde de Aracaju segue o plano com uma gestão transparente. “Todos os critérios são adotados. Trabalhamos diuturnamente para errar o mínimo possível e estabelecer critérios objetivos e claros para que não haja beneficiamento de ninguém. Tanto que já estamos fazendo ajustes no sistema de cadastramento, disponibilizando o cadastro online para os profissionais para que possam comprovar os critérios de prioridade”, garante Waneska.

Foto: Marcelle Cristinne

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.