Aparte
Opinião - Belivaldo Chagas e Edvaldo Nogueira: alinhados e focados para vencer o novo coronavírus

São visíveis o empenho e foco de Belivaldo Chagas e de Edvaldo Nogueira no enfrentamento ao coronavírus

[*] Edson Júnior

A fábula “A cigarra e a formiga”, de La Fontaine, chegou ao Brasil pelas penas do paulista Monteiro Lobato, e é um conto que trata do valor do esforço, do trabalho e da solidariedade. 

Em resumo: enquanto a formiga, durante o verão, trabalhava de sol a sol no provisionamento de mantimentos para enfrentar os tempos difíceis do inverno, a cigarra passava os dias a cantarolar com sua viola.

Com a chegada do inverno, a formiga usufrui do trabalho feito durante o verão e a cigarra, a solidão do inverno. Ao final, a formiga se solidariza e ampara a cigarra. Venceu a fraternidade! 

Esse conto me veio à mente estes dias ao observar o comportamento de quem trabalha para combater a terrível pandemia do novo coronavírus e de quem vive a reclamar de tudo que é feito. 

Refiro-me ao trabalho dedicado do governador Belivaldo Chagas e do prefeito Edvaldo Nogueira - ambos focados e afinados no enfrentamento à Covid-19 - e àqueles que vivem em redes sociais e rádios reclamando de tudo, além dos que tratam a doença como uma “gripezinha” e reagem às medidas de combate. 

Temos aí “A cigarra e a formiga” em nosso dia a dia. Mas a população enxerga além dos contos e percebe quem trabalha e quem atrapalha. Quem é formiga e quem é cigarra.

Nesta pandemia, são visíveis o empenho e foco de Belivaldo e de Edvaldo no enfrentamento ao novo coronavírus. Só a maldade se recusa a fazer esse reconhecimento.  

O momento é de total apreensão, com novas cepas do vírus - mais capazes de contágio e de letalidade - circulando pelo país. Cuidados devem ser redobrados, não só pelo poder público, mas por toda a sociedade. 

Além dos cuidados mais básicos como o uso de máscara e álcool gel, higienização, evitar aglomeração e só sair de casa em casos de extrema necessidade, é fundamental que o Governo Federal, como coordenador do Plano Nacional de Imunização - PNI -, faça sua parte, abandone a disputa política e se harmonize com os entes federados para essa enorme batalha. 

É vital que o país tenha sua população vacinada. Do contrário, essa aflição não terá fim. Mais vidas perdidas pela Covid-19 e a economia morrendo por inanição. 

O país está atrasado. Vacinou pequena fração da população, enquanto o vírus circula e varia livremente, colocando em risco até quem já foi vacinado. É o trabalho de enxugar gelo. 

Por isso, independentemente do Governo Federal, Estados e Municípios se articulam em consórcios para a aquisição de vacinas.

E fazem certo! Não é nenhuma afronta ou sabotagem ao presidente Jair Bolsonaro. É somação e é responsabilidade.

Governadores e prefeitos estão corretos, não querem assistir passivamente aos erros do Governo Federal, enquanto a população morre aos milhares por falta de vacina. 

Na segunda-feira, dia 22, por exemplo, o prefeito Edvaldo Nogueira fez importantes anúncios: 

1 - Foi realizada a 1ª Assembleia Geral do Consórcio com prefeitos das 1.738 cidades que aderiram ao Conectar - Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras, um grupo unido, de mãos dadas, para ampliar a vacinação em seus municípios e vencer a batalha contra a Covid-19.

2 - Anunciou a vacinação dos idosos de 72 a 68 anos a partir desta quarta-feira, 24, até o dia 4 de abril.

Fez o anúncio por meio de suas redes sociais e não escondia a felicidade de ver que as vacinas começam a chegar para as diversas faixas etárias da população e que o número vai ganhar impulso com a formação do Consórcio Conectar.

Já o governador Belivaldo Chagas anunciou na sexta-feira, 19, a assinatura de contrato com o Fundo Soberano Russo para a aquisição de 400 mil doses da vacina Sputnik. 

Como informou este Portal JLPolítica, “a compra foi comunicada ao Ministério da Saúde, que decidirá se aceita ou não incorporar as 400 mil doses da vacina ao Plano Nacional de Imunização. Caso o órgão federal decida por não aceitá-las, o Governo de Sergipe terá as 400 mil doses para avançar no Plano Estadual de Imunização, com os grupos prioritários”. 

E também na tarde da segunda, 22, o governador voltou a se reunir extraordinariamente com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais – Ctcae -, colegiado que estuda o comportamento da Covid-19 no Estado, e manteve as medidas anunciadas na semana passada, com apenas uma alteração: ampliou o toque de recolher na sexta-feira, sábado e domingo, que ao invés de 20h, terá início às 18h.

Tanto Belivaldo quanto Edvaldo têm mostrado em entrevistas e em ações que não deixarão de tomar as medidas necessárias para enfrentar esta terrível pandemia.

Sabem das responsabilidades que lhes pesam sobre os ombros e não fogem delas. Agem com responsabilidade, com diálogo, mas, acima de tudo, olhando para o bem-estar coletivo. 

O momento é terrível, mas é um alento saber que em nosso Estado a Covid-19 tem adversários determinados a vencê-la. Belivaldo e Edvaldo estão juntos e alinhados nesta batalha. O trabalho está sendo feito e logo estaremos todos seguros. 

[*] É jornalista.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.