Aparte
Opinião - Eleitor não aceita “campanha do ódio”, quer propostas e Aracaju avançando

[*] Edson Júnior

Se há algo de fácil verificação na campanha eleitoral deste ano em Aracaju é o clima de ódio de algumas candidaturas na disputa pela prefeitura. Campanhas excessivamente agressivas, parecem prontas para um conflito épico, uma luta de Davi contra Golias, para classificar uma candidata.

Diz-se que o argumento de quem não tem o que mostrar é a agressão. Faz sentido, pelo que se observa em alguns candidatos. Não preciso mencioná-los, basta que o leitor acompanhe as propagandas no horário eleitoral e também as entrevistas que concedem em rádio e televisão. 

Tentam puxar Edvaldo Nogueira para esse campo estéril, só que o prefeito não cai nas provocações e toca sua campanha mostrando o que fez e o que pretende fazer sendo reeleito.

E Edvaldo faz bem em não aceitar “brigas” com adversários. Ele tem o que mostrar ao eleitor e aproveita o precioso tempo eleitoral para isso. Preste atenção nessa diferença, caro leitor. 

O objetivo da narrativa violenta é criar um ambiente de revolta contra o atual prefeito, tentar convencer o eleitor de que ele nada fez na cidade, mas “o tiro sai pela culatra” e termina por beneficiar Edvaldo.

Como assim, jornalista? Simples e à vista de todos. Quando se olha para as várias obras espalhadas pela cidade, é impossível não lembrar que nelas tem a mão de Edvaldo Nogueira. E não são apenas obras. A cidade está bem cuidada, tem seus serviços urbanos cada vez mais aprimorados e ampliados para os cidadãos.

Já na administração e nas finanças, organização e austeridade nas contas permitiram vultosos investimentos em obras e melhoria da imagem da gestão juntos aos organismos de controle fiscal e entidades creditícias.

Com planejamento e rigoroso controle nas contas, o prefeito Edvaldo Nogueira colocou Aracaju no seleto grupo dos municípios bem administrados e com saúde financeira privilegiada.

Em resumo, essa é a Prefeitura que o eleitor tem com Edvaldo Nogueira, uma gestão com 58% de aprovação popular, segundo recente pesquisa Ibope contratada pela TV Sergipe e divulgada na última sexta-feira, 9. 

E o que propõe seus adversários para convencer o eleitor de que fará uma administração melhor? Continuam criticando a gestão e acusando Edvaldo de fazer obras eleitoreiras. Curioso isso: se não realiza uma obra, é incompetente; se realiza, é eleitoreira. E agora? Drama shakespeariano. 

Percebe-se nas ruas que o eleitor está cansado de tanta agressão, de tanto ódio. Ele quer propostas, quer Aracaju avançando, quer um prefeito que transmita confiança e segurança. Quer um bom gestor, não milagreiros e valentões.

Com uma das campanhas mais serenas e alegres já vistas em Aracaju, Edvaldo e Katarina conseguem chegar no coração do eleitorado, por isso estão disparados na pesquisa Ibope e são calorosamente recebidos nos bairros. Não é a força que convence. É jeito, jeito de povo. É o que eles, os adversários, não têm. 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

[*] É jornalista.