Politica & Mulher
Emília Corrêa espera união de vereadoras da capital

Emília: “Minha esperança é a de que estejam unidas, uma respeitando o jeito de ser da outra”

Na próxima terça-feira, dia 2 de fevereiro, a Câmara Municipal de Aracaju retoma os trabalhos legislativos. Dessa vez, tendo quatro mulheres parlamentares: Lina Brasil, Psol; Professora Ângela Melo, PT; Sheyla Galba, Cidadania, e Emília Corrêa, Patriota. Emília foi reeleita em 2020 e, portanto, é a veterana entre elas.

Não apenas veterana, mas acredita ter sido inspiração. “Entendo que minha atuação influenciou as mulheres, tiveram mais mulheres candidatas e minha atuação motivou, não tenho dúvida disso, porque ouvi isso delas. Vou continuar firme, combatendo, mas procurando ser mais contida em algumas coisas”, afirma.

Apesar da companhia feminina que terá, Emília acredita que este mandato será mais difícil. “Minhas expectativas são de muitas batalhas, muitas lutas, de gerar caminhos. Mas não fui para a Câmara para agradar autoridades, sejam do legislativo ou executivo. Eu fui para defender e representar o povo de Aracaju”, ressalta.

Para ela, as mulheres são muito determinadas, perseverantes, têm um estilo de ser e uma forma de trabalhar muito próprios, o que não impede que estejam unidas em prol de um objetivo. “Acredito que foi extremamente positivo esse aumento, e minha esperança é a de que estejam unidas, uma respeitando o jeito de ser da outra, para representarmos as mulheres de forma mais fortalecida, com mais sensibilidade e, assim, possamos seguir trabalhando pelo povo de Aracaju como um todo, mas com as mulheres tendo prioridade pela representatividade”, argumenta.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.