Politica & Mulher
Democracia: campanha do TSE incentiva participação feminina na política

Campanha já está no ar e tem a violência política como destaque 

Garantir que mais mulheres participem da política tem sido uma preocupações do Tribunal Superior Eleitoral - TSE - nos últimos anos, quando o órgão passou a promover campanhas institucionais para fomentar tanto o interesse das própriioas mulheres quanto o respeito da legislação, por parte dos dirigentes partidários.

A campanha deste ano já está no ar desde a última segunda-feira, dia 2, e é estrelada pela atriz e embaixadora da ONU Mulheres Camila Pitanga, que não cobrou cachê. A campanha aborda a violência de gênero na política e será divulgada em todas as emissoras de TV e rádio do país, bem como nas redes sociais da Justiça Eleitoral.

Nesta edição da campanha, que segue até dezembro deste ano, o TSE fez uma parceria com o Instituto Marielle Franco para coletar alguns depoimentos de mulheres que sofreram violência de gênero na política. Além de Camila Pitanga, as peças serão estreladas por atrizes que representam a diversidade feminina: idosas, indígenas, jovens, transgêneros e negras.

Para a advogada Katarina Brasil, autora do livro “Mulheres na Política Brasileira: Reflexões sobre Gênero e Democracia Intrapartidária”, é essencial contar com mais mulheres na política por diversas razões, entre as quais a redução das desigualdades de gênero. Além disso, um percentual maior de mulheres eleitas diminui as relações de poder entre os gêneros.

“Precisamos nos unir para pensar em competências femininas e empoderar mulheres. Juntas, podemos mais. Diminuir a violência contra mulher na política passa, necessariamente, pela necessidade de termos mais mulheres na política. Neste sentido, é fundamental pensarmos em educação de meninas na política”, afirma a advogada.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.