Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

É jornalista desde 2010, com atuação em veículos impressos e assessorias de comunicação.

Katarina Feitoza sobre Plano de Combate à Violência: “É um marco na política de defesa dos direitos femininos”
Compartilhar

Katarina Feitoza:  “Agora temos uma bússola no combate à violência contra a mulher”

Ao longo dos últimos anos, a pauta dos direitos femininos tem ganhado cada vez mais destaque, seja através de ações da sociedade civil ou de entidades de classe. E o poder público tem acompanhado esse movimento.

A criação do Plano Municipal de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, em Aracaju, é um exemplo disso. “A ferramenta permitirá que atuemos em diversas frentes, a partir de uma construção democrática que hoje se baseia em três eixos”, explica a vice-prefeita do município, Katarina Feitoza, PSD.

Esses três eixos são: Prevenção/Fortalecimento e Ampliação de Rede; Participação e Controle Social; e Promoção da Autonomia Econômica Social. O plano será colocado em prática através de um Comitê Gestor, que será formado por representantes de instituições governamentais. Caberá a ele deliberar sobre as ações que serão executadas.

A iniciativa será coordenada pela Secretaria Municipal de Assistência, que, segundo a vice-prefeita, já tem um trabalho voltado às mulheres. “Mas a implementação de um Plano desse porte, sem dúvida, é um marco na política de defesa dos direitos femininos em Aracaju, ajudando a combater o machismo, a desigualdade e, consequentemente, a violência”, avalia Katarina.

Para ela, o Plano Municipal representa um norte para as ações do município nesse enfrentamento. “Agora temos uma bússola no combate à violência contra a mulher, que nos dá uma perspectiva maior e mais avançada não só sobre este cenário, mas sobre as ações que realizaremos para mudá-lo”, defende Katarina.

“É um plano completo, feito a várias mãos, que institui um protocolo de atendimento, grupos reflexivos para homens agressores e ações de independência financeira para as mulheres, por exemplo”, completa a vice-prefeita.

O Plano Municipal de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher traça estratégias, com o foco em resguardar a integridade das aracajuanas no âmbito familiar, através de ações que integram diversos órgãos governamentais e entidades, e terá como período de vigência de 2021 a 2031.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.